O que fazemos
Belo Horizonte/MG
Salvador/BA
Juazeiro/BA
Sto Amaro-São Paulo/SP
Centro Vocacional Oblata
Acompanhamento Vocacional
Depoimentos
Divulgação
Países
Sobre Padre Serra
Abertura do Bicentenário
No Brasil
Artigos
Pesquisas
VII Encontro -2009
VIII Encontro - 2010
IX Encontro - 2011
Tráfico de Pesssoas
Encontro da Rede
Unidades Oblatas
Capítulo Provincial
Seminário
Comunicação
Encontro da Rede Oblata
Projetos Mundo
Projetos Brasil
Diga NÃO à violência contra Mulher
Capacitação
Outros
Comunidades
Comemorações
Cirandas Parceiras
Projetos Oblatas
Compartilhai
Jornal da Rede Pastoral Oblata
Pastoral da Mulher de Belo Horizonte - MG
Pastoral da Mulher de Juazeiro - BA
Economia Solidária
Tráfico de Seres Humanos
Prostituição
Violência Contra a Mulher
Jornal da Rede
Comunidade
Celebrações
Cursos
Oficinas
Sensibilização
Igreja do Brasil
Cidadania
Direitos Humanos
Gênero
Projetos Pastorais
Cultura
Igualdade

quarta-feira, 26 de março de 2014

Equipe da Pastoral da Mulher debate sobre tráfico humano, com propósito de multiplicar Ação

O momento foi mediado pela Coordenadora da Pastoral da Mulher, Fernanda Lins e a Educadora Social, Railane Delmondes.

Na última quarta-feira, 19 de março de 2014, na sede da Pastoral da Mulher de Juazeiro aconteceu um momento formativo para a equipe de agentes sociais da Pastoral, sobre a temática da Campanha da Fraternidade 2014, “Fraternidade e Tráfico Humano”, que busca a conversão pessoal, comunitária e social.

O momento foi mediado pela Coordenadora da Pastoral da Mulher, Fernanda Lins e a Educadora Social, Railane Delmondes, que trouxeram histórias reais de pessoas que foram traficadas e que conseguiram se libertar. Abordaram também a definição e os dados sobre o tráfico humano na região, no país e no mundo; como também a realidade do tráfico de mulheres para exploração sexual.

A Organização das Nações Unidas (ONU), no Protocolo de Palermo (2003), define tráfico de pessoas como “o recrutamento, o transporte, a transferência, o alojamento ou o acolhimento de pessoas, recorrendo-se à ameaça ou ao uso da força ou a outras formas de coação, ao rapto, à fraude, ao engano, ao abuso de autoridade ou à situação de vulnerabilidade ou à entrega ou aceitação de pagamentos ou benefícios para obter o consentimento de uma pessoa que tenha autoridade sobre outra para fins de exploração”. 

Atualmente o tráfico de mulheres é uma das modalidades do tráfico de pessoas mais praticadas no mundo; em sua essência, se presta a escravidão sexual, à venda da mulher como objeto sexual, muitas vezes contra a sua vontade.

Segundo estimativas do Instituto Europeu para o Controle e Prevenção do Crime, cerca de 500 mil pessoas são traficadas de países mais pobres para este continente por ano. Quanto ao tráfico de pessoas para fins sexuais, estima-se que 98% das vítimas em todo o mundo são mulheres.

Com o proposito de agentes multiplicadores da ação, a Pastoral da mulher tem favorecido o debate em espaços externos, despertando nas pessoas a reflexão sobre essa problemática, especialmente na região onde se é percebida a ocorrência do tráfico de pessoas para fins de exploração sexual e trabalho escravo.


Fonte: Pastoral da Mulher de Juazeiro

Voltar 


maio 2018
 DSTQQSS
S  12345
S6789101112
S13141516171819
S20212223242526
S2728293031  









 

Busca:
 

Na sua opinião, por que as mulheres estão curtindo sexo anal?

 
 

 


Home . Apresentação . Histórico . Mística . Missão . Cadastre-se . Localização . Links . Trabalhe Conosco . Contato
Copyright 2006 – Instituto das Irmãs Oblatas do SSmo Redentor - Todos os Direitos Reservados
fale conosco: info@oblatas.org.br Tel: 11 2673-9069