O que fazemos
Belo Horizonte/MG
Salvador/BA
Juazeiro/BA
Sto Amaro-São Paulo/SP
Centro Vocacional Oblata
Acompanhamento Vocacional
Depoimentos
Divulgação
Países
Sobre Padre Serra
Abertura do Bicentenário
No Brasil
Artigos
Pesquisas
VII Encontro -2009
VIII Encontro - 2010
IX Encontro - 2011
Tráfico de Pesssoas
Encontro da Rede
Unidades Oblatas
Capítulo Provincial
Seminário
Comunicação
Encontro da Rede Oblata
Projetos Mundo
Projetos Brasil
Diga NÃO à violência contra Mulher
Capacitação
Outros
Comunidades
Comemorações
Cirandas Parceiras
Projetos Oblatas
Compartilhai
Jornal da Rede Pastoral Oblata
Pastoral da Mulher de Belo Horizonte - MG
Pastoral da Mulher de Juazeiro - BA
Economia Solidária
Tráfico de Seres Humanos
Prostituição
Violência Contra a Mulher
Jornal da Rede
Comunidade
Celebrações
Cursos
Oficinas
Sensibilização
Igreja do Brasil
Cidadania
Direitos Humanos
Gênero
Projetos Pastorais
Cultura
Igualdade

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Pastoral da Mulher de Juazeiro realiza estudo preparatório para Encontro da Rede Oblata

A equipe realizou três encontros de estudos.

A Equipe da Pastoral da Mulher, Unidade Oblata em Juazeiro/BA, se reuniu nos dias 21/01, 28/01 e 09/02 para realizar o estudo em preparação para o Encontro da Rede Oblata, que ocorrerá entre os dias 12 a 15 de maio, em Salvador/BA, com o tema: “Educação e Assistência Social: a luz da Espiritualidade Oblata”. Os encontros foram facilitados por Fernanda Lins, que compõe a equipe de organização do encontro.

O primeiro dia de preparação aconteceu com a realização do estudo da Carta 197, enviada por Padre Serra ao Ministério do Governo, solicitando fundo para a Obra.  Inicialmente, a equipe assistiu ao vídeo “Uma llamada al amor”, que conta a história da Congregação e foi produzido na ocasião dos 150 anos do Instituto das Irmãs Oblatas do Santíssimo Redentor.

Após a leitura da carta a equipe destacou os aspectos que chamaram a atenção, entre eles: a forma como era vista a mulher na época dos fundadores; o papel político de Padre Serra na garantia de direitos das mulheres; a “casa” era mais que um abrigo, se preocupava na educação e profissionalização das mulheres; Padre Serra cobrava do governo ações em benefício das mulheres; o Estado não cumpria suas obrigações, tinha alguém que fazia por ele; entre outros. Na oportunidade a equipe concluiu que a realidade parece não mudar muito em alguns aspectos, e se questionou até que ponto está cobrando e tendo um papel político, a exemplo dos fundadores da Congregação Oblata.

 A equipe refletiu também, que um dos grandes desafios ainda é a captação de recursos e que o mundo tem mudado radicalmente nos últimos anos exigindo da equipe novas respostas e novas estratégias para atender a realidade das mulheres em contexto de prostituição, e assim conseguir recursos para o trabalho.

 No dia 28/02 a equipe se reuniu para a segunda etapa do estudo, assistindo um vídeo publicado no youtube, e que mostra a imagem de mulheres da bíblia. Depois foi convidada a conhecer, a partir de tarjetas coladas na parede a história de algumas dessas mulheres e a escolher uma delas, para responder a seguinte pergunta: Revisitando os textos da época dos fundadores constatamos termos preconceituosos que acarretam milenarmente as mulheres em contexto de prostituição. Hoje não é diferente, temos uma sociedade que estigmatiza a mulher, tornando público e rotulando-a pela prática da prostituição e invizibiliza os homens, que igualmente se prostituem. Diante dessa problematização, em que Deus acredita essa sociedade, na qual nós estamos inseridas, onde se continua sustentando estas desigualdades? Buscar um texto bíblico que traga à tona a realidade de uma mulher estigmatizada e que contribuição traz a prática de Jesus para a nossa atuação nos projetos pastorais.

Em seguida a equipe socializou as respostas. As mulheres escolhidas foram: a mulher adúltera, Lia, Tamar e a mulher do fluxo de sangue. Pode-se perceber que as histórias dessas mulheres muito se assemelham as nossas e as das mulheres que atendemos, e destacamos: a exploração dos homens, preconceito, estigma, competitividade, entre outros.

 Finalizando o estudo, no dia 09/02, a equipe assistiu a um vídeo que retratava o processo de metamorfose da borboleta e em seguida realizou a leitura e reflexão sobre o Regulamento dos colégios-asilos de pobres desamparadas, dirigido pelas Irmãs Oblatas do Santíssimo Redentor, para responder ao seguinte questionamento: Qual a nossa releitura dos objetivos e passos pedagógicos criados pelo Padre Serra quando fundou a 1ª Casa de Acolhida?

Dentre os aspectos relevantes, a equipe destacou que, desde os Fundadores, percebe-se um trabalho sistematizado e organizado, ficando explícito quando o texto cita as cores das fitas que são usadas pelas mulheres de acordo com o avanço em seu processo. Percebe-se também um amor a causa, retratado ao dizer que se acolhe as mulheres quantas vezes for necessário, além da doçura e firmeza nos momentos necessários.

A continuidade do estudo será realizado na ocasião do Encontro da Rede, onde serão apresentado todos os trabalhos realizados nas quatro Unidades Oblatas do Brasil


Fonte: Por Fernanda Lins e Railane Delmondes - Pastoral da Mulher de Juazeiro

Voltar 


abril 2017
 DSTQQSS
S      1
S2345678
S9101112131415
S16171819202122
S23242526272829
S30      









 

Busca:
 

Na sua opinião, por que as mulheres estão curtindo sexo anal?

 
 

 


Home . Apresentação . Histórico . Mística . Missão . Cadastre-se . Localização . Links . Trabalhe Conosco . Contato
Copyright 2006 – Instituto das Irmãs Oblatas do SSmo Redentor - Todos os Direitos Reservados
fale conosco: info@oblatas.org.br Tel: 11 2673-9069