O que fazemos
Belo Horizonte/MG
Salvador/BA
Juazeiro/BA
Sto Amaro-São Paulo/SP
Centro Vocacional Oblata
Acompanhamento Vocacional
Depoimentos
Divulgação
Países
Sobre Padre Serra
Abertura do Bicentenário
No Brasil
Artigos
Pesquisas
VII Encontro -2009
VIII Encontro - 2010
IX Encontro - 2011
Tráfico de Pesssoas
Encontro da Rede
Unidades Oblatas
Capítulo Provincial
Seminário
Comunicação
Encontro da Rede Oblata
Projetos Mundo
Projetos Brasil
Diga NÃO à violência contra Mulher
Capacitação
Outros
Comunidades
Comemorações
Cirandas Parceiras
Projetos Oblatas
Compartilhai
Jornal da Rede Pastoral Oblata
Pastoral da Mulher de Belo Horizonte - MG
Pastoral da Mulher de Juazeiro - BA
Economia Solidária
Tráfico de Seres Humanos
Prostituição
Violência Contra a Mulher
Jornal da Rede
Comunidade
Celebrações
Cursos
Oficinas
Sensibilização
Igreja do Brasil
Cidadania
Direitos Humanos
Gênero
Projetos Pastorais
Cultura
Igualdade

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Encontro de Mulheres "Filhas da Luta"

Um encontro que teve por objetivo partilhar as diferentes experiências e reivindicações das mulheres em situação de prostituição atendidas pelos projetos, iniciando uma articulação das mulheres das Unidades Oblatas.

As diferentes Unidades Oblatas (Projeto Força Feminina em Salvador, Pastoral da Mulher de Juazeiro e Projeto Oblata Diálogos pela Liberdade de BH, com o apoio do Projeto Antônia de São Paulo, se esforçaram ao longo do ano por promover durante este ano a conscientização sobre a defesa dos direitos das mulheres que exercem a prostituição. Este Encontro teve por objetivo partilhar as diferentes experiências e reivindicações e iniciar uma articulação das mulheres dessas Unidades.



A animadora, Rose Brincante, nos ajudou com suas dinâmicas e espírito lúdico para  que a partilha de experiências fosse mais intensa e, ao mesmo tempo, descontraída. Unindo espiritualidade,  música, brincadeiras e reflexões, Rose ajudou as participantes a redescobrir a força interior de cada uma, a dignidade inquebrantável que têm, e a necessidade da união, do  cuidado e do respeito por si mesmas e pelas outras.



Todas elas expuseram a violação de direitos básicos (direito à integridade física, moral, educação, saúde) desde os primeiros anos de vida, e  a existência de constantes discriminações e preconceito que sofrem pelo fato de serem profissionais do sexo. As principais reivindicações que realizaram se referiam à segurança, à maior higiene e limpeza nos estabelecimentos onde trabalham, à necessidade de serem respeitadas tanto pelos funcionários dos serviços públicos (Polìcia, Saúde, etc) quanto pelos funcionários dos hotéis onde desenvolvem sua atividade.


No dia 16 , já na sede do Projeto Oblata Diálogos pela liberdade, tivemos uma reunião com representantes de diferentes entidades públicas: Delegacia Especializada da Mulher (Polìcia Civil), Conselho dos Direitos da Mulher, Consórcio das Mulheres das Gerais, Secretaria dos Direitos Humanos Estadual e Municipal, dentre outras. A sensibilização social e dos órgãos públicos, assim como a necessidade de realizar uma Audiência Pública na Assembleia Legislativa de Minas Gerais sobre este tema foram alguns dos encaminhamentos.

Fonte: Projeto Oblata BH - Diálogos pela Liberdade

Voltar 


agosto 2017
 DSTQQSS
S  12345
S6789101112
S13141516171819
S20212223242526
S2728293031  









 

Busca:
 

Na sua opinião, por que as mulheres estão curtindo sexo anal?

 
 

 


Home . Apresentação . Histórico . Mística . Missão . Cadastre-se . Localização . Links . Trabalhe Conosco . Contato
Copyright 2006 – Instituto das Irmãs Oblatas do SSmo Redentor - Todos os Direitos Reservados
fale conosco: info@oblatas.org.br Tel: 11 2673-9069