O que fazemos
Belo Horizonte/MG
Salvador/BA
Juazeiro/BA
Sto Amaro-São Paulo/SP
Centro Vocacional Oblata
Acompanhamento Vocacional
Depoimentos
Divulgação
Países
Sobre Padre Serra
Abertura do Bicentenário
No Brasil
Artigos
Pesquisas
VII Encontro -2009
VIII Encontro - 2010
IX Encontro - 2011
Tráfico de Pesssoas
Encontro da Rede
Unidades Oblatas
Capítulo Provincial
Seminário
Comunicação
Encontro da Rede Oblata
Projetos Mundo
Projetos Brasil
Diga NÃO à violência contra Mulher
Capacitação
Outros
Comunidades
Comemorações
Cirandas Parceiras
Projetos Oblatas
Compartilhai
Jornal da Rede Pastoral Oblata
Pastoral da Mulher de Belo Horizonte - MG
Pastoral da Mulher de Juazeiro - BA
Economia Solidária
Tráfico de Seres Humanos
Prostituição
Violência Contra a Mulher
Jornal da Rede
Comunidade
Celebrações
Cursos
Oficinas
Igreja do Brasil
Cidadania
Direitos Humanos
Gênero
Projetos Pastorais
Cultura
Igualdade

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Pastoral da Mulher Movimenta Comunidades

Encontro com grupos comunitários liderados e formados por mulheres nos bairros de Juazeiro.

Pastoral da Mulher Movimenta Comunidades

A Pastoral da Mulher (unidade Oblata de Juazeiro-BA) promove semanalmente uma reunião com dois grupos comunitários liderados e formados por mulheres nos bairros Antônio Conselheiro e Itaberaba. Os encontros acontecem nas próprias residências das lideranças ou em espaços comunitários das localidades, com o objetivo de desenvolver a articulação das instâncias e espaços de participação democrática envolvendo as comunidades na defesa e garantia dos direitos das mulheres.


Assim, durante o mês de setembro, Ana Paula Santos, pedagoga e educadora social na Pastoral da Mulher, abordou de forma bem dinâmica o tema “Dialogando sobre as instâncias políticas – Poderes: Executivo, Legislativo e Judiciário” entre as comunidades. Esse foi um espaço em que as mulheres puderam socializar suas opiniões partindo das suas vivências cotidianas. O trabalho partiu de perguntas geradoras, com a finalidade de relacionar o tema das instâncias dos poderes com a realidade vivenciada por cada mulher diariamente, por exemplo:

  • Você lembra em quem você votou para prefeito e vereador nas últimas eleições?
  • Como é a sua relação com as escolas/creche em que seu/seus filhos/os estudam?
  • Se você fosse prefeita, o que você faria para melhorar a sua cidade?
  • Quais mulheres você conhece que ocupam cargos públicos de confiança?

Dessa forma, foi possível notar o bom envolvimento do grupo diante as discussões, nas quais a maior parte das mulheres expressou descontentamentos com a situação atual do município, especialmente no que diz respeito à falta de segurança, precárias condições na estrutura do bairro onde vivem, problemas na rede pública de saúde e saneamento básico.


Em continuidade ao tema, foi explicado ao público sobre o papel de cada instância de poder, relacionando-o à importância da presença feminina nesses espaços: executivo, legislativo e judiciário, destacando que:

  • Poder executivo municipal, estadual e federal corresponde ao: prefeito, governador e presidente da república. E em relação ao poder municipal, cada município é autônomo, sendo responsável pela sua própria organização, administração e arrecadação de impostos. Aos prefeitos cabe a administração dos serviços públicos municipais nas áreas da saúde, educação, transporte, segurança e cultura.
  • Poder legislativo, este é exercido pelo Congresso Nacional, que, por sua vez, é composto pela Câmara dos Deputados e pelo Senado Federal; pelos Estados e pelos municípios.
  • O poder judiciário tem a função de garantir e defender os direitos individuais, ou seja, promover a justiça.

Esse trabalho direto com as comunidades é de suma importância, pois direciona esses grupos a tomar iniciativas conjuntas e buscar desenvolver ações para a melhoria das condições de vida em suas localidades.

Os grupos GMEL e Mulheres Borboletas, como são identificados, demonstraram certo interesse diante da temática, haja vista que essas são questões que atingem diretamente a vida dessas mulheres e suas famílias diariamente. Os grupos contam com a participação de cerca de 48 mulheres que se mobilizam em torno das questões coletivas de seus bairros. Importante destacar que esses são espaços abertos para receber lideranças de outros bairros, candidatos políticos e outras formas de representações públicas que tenham em comum, o intuito de conhecer seus projetos e dialogar sobre a realidade atual das comunidades.

Fonte: Coordenação da Pastoral da Mulher de Juazeiro

Voltar 


março 2017
 DSTQQSS
S   1234
S567891011
S12131415161718
S19202122232425
S262728293031 









 

Busca:
 

Na sua opinião, por que as mulheres estão curtindo sexo anal?

 
 

 


Home . Apresentação . Histórico . Mística . Missão . Cadastre-se . Localização . Links . Trabalhe Conosco . Contato
Copyright 2006 – Instituto das Irmãs Oblatas do SSmo Redentor - Todos os Direitos Reservados
fale conosco: info@oblatas.org.br Tel: 11 2673-9069