O que fazemos
Belo Horizonte/MG
Salvador/BA
Juazeiro/BA
Sto Amaro-São Paulo/SP
Centro Vocacional Oblata
Acompanhamento Vocacional
Depoimentos
Divulgação
Países
Sobre Padre Serra
Abertura do Bicentenário
No Brasil
Artigos
Pesquisas
VII Encontro -2009
VIII Encontro - 2010
IX Encontro - 2011
Tráfico de Pesssoas
Encontro da Rede
Unidades Oblatas
Capítulo Provincial
Seminário
Comunicação
Encontro da Rede Oblata
Projetos Mundo
Projetos Brasil
Diga NÃO à violência contra Mulher
Capacitação
Outros
Comunidades
Comemorações
Cirandas Parceiras
Projetos Oblatas
Compartilhai
Jornal da Rede Pastoral Oblata
Pastoral da Mulher de Belo Horizonte - MG
Pastoral da Mulher de Juazeiro - BA
Economia Solidária
Tráfico de Seres Humanos
Prostituição
Violência Contra a Mulher
Jornal da Rede
Comunidade
Celebrações
Cursos
Oficinas
Sensibilização
Igreja do Brasil
Cidadania
Direitos Humanos
Gênero
Projetos Pastorais
Cultura
Igualdade

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Observatórios devem intensificar combate ao tráfico de pessoas no país

De acordo com o Sistema de Registro RETA-PNP, a região apresentou 27 casos denunciados de tráfico de pessoas de 2004 até junho deste ano, o que a coloca na terceira posição, depois de Cusco e Arequipa, com 60 e 42 casos respectivamente.

Uma rede de dez Observatórios (Veedurías, em espanhol??) Regionais contra o Tráfico de Pessoas está sendo instalado no Peru para combater o tráfico de seres humanos e fortalecer as políticas públicas no setor em todo o país. Os observatórios são instalados nas seguintes localidades: Arequipa, Cusco, Cajamarca, Huánuco, Madre de Dios, Loreto, Lambayeque, Junín e Lima. A iniciativa é da Mirada Ciudadana, do CHS Alternativo.

Na última quarta-feira (14) foi instalado, no Instituto Nacional de Cultura (INC) de Iquitos, o Observatório Regional contra o tráfico de pessoas, o contrabando ilícito de migrantes e pelas pessoas desaparecidas de Loreto, terceira região com maior número de casos de tráfico de pessoas denunciados em nível nacional no Sistema de Registro de Vítimas de Tráfico de Pessoas RETA-PNP da Polícia Nacional do Peru (PNP).

 

De acordo com o Sistema de Registro RETA-PNP, a região apresentou 27 casos denunciados de tráfico de pessoas de 2004 até junho deste ano, o que a coloca na terceira posição, depois de Cusco e Arequipa, com 60 e 42 casos respectivamente.

 

No início do mês, a Comissão pela Paz e Desenvolvimento da Selva Central, juntamente com o Instituto Redes e Mirada Ciudadana, também já haviam instalado o IV Observatório Regional contra o Tráfico de Pessoas na cidade de Satipo, em Junín.

 

De acordo com dados do Sistema Desafio PNP, só na região de Junín foram registrados 3 casos de Tráfico de Pessoas nas rotas de Junín - Lima, Huánuco - Junín e Ucayali - Junín.

 

De 2004 a 2010, 282 casos foram registrados no país. Destes, 221 serviam ao mercado da exploração sexual. No mesmo período, 689 pessoas foram resgatadas do crime de tráfico de pessoas, sendo que 450 delas eram menores de idade. Há registro de que 477 pessoas foram investigadas, sendo que 267 delas são mulheres.

 

Aproveitando a instalação dos observatórios pelo país, também foi lançada a campanha "Nenhum trabalho vale mais que sua liberdade", que busca prevenir sobre a captação das vítimas mediante falsas ofertas de trabalho, já que esta é a forma mais frequente, usada por aliciadores e traficantes, de captar vítimas.

 

A captação de vítimas por falsas ofertas de emprego é a modalidade mais usada por aliciadores e traficantes de pessoas, e neste sentido, a campanha busca prevenir e alertas a população para a existência deste perigo.

 

A iniciativa será coordenada pelo CHS Alternativo na capital loretana, já que foi implementada também em Arequipa, Cajamarca, Huánuco, Piura, Lima, Loreto, Cusco, Madre de Dios, Junín y Lambayeque, regiões da qual se coordenam ações de prevenção e vigilância cidadã contra o tráfico humano.

 

Mais informações pelo site: http://www.chs-peru.com.

Por Tatiana Félix

Fonte: Adital

16/07/2010

Voltar 


maio 2018
 DSTQQSS
S  12345
S6789101112
S13141516171819
S20212223242526
S2728293031  









 

Busca:
 

Na sua opinião, por que as mulheres estão curtindo sexo anal?

 
 

 


Home . Apresentação . Histórico . Mística . Missão . Cadastre-se . Localização . Links . Trabalhe Conosco . Contato
Copyright 2006 – Instituto das Irmãs Oblatas do SSmo Redentor - Todos os Direitos Reservados
fale conosco: info@oblatas.org.br Tel: 11 2673-9069